Profissão Mãe

Uma homenagem atrasada as mães:

"Uma mulher foi renovar a sua carteira de motorista. Pediram-lhe para informar qual era a sua profissão. Ela hesitou, sem saber bem como se classificar.

- O que eu pergunto é se tem um trabalho, insistiu o funcionário.
- Claro que tenho um trabalho, exclamou. Sou mãe.
- Nós não consideramos "mãe" um trabalho. Vou colocar "Dona de casa", disse o funcionário friamente.

Não voltei a lembrar-me desta história até o dia em que me encontrei em situação idêntica. A pessoa que me atendeu era obviamente uma funcionária de carreira,
segura, eficiente, dona da situação, perguntou:

- Qual é a sua ocupação?

Não sei o que me fez dizer isto, as palavras simplesmente saltaram-me da
boca para fora:

- Sou Doutora em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas.

A funcionária fez uma pausa, a caneta de tinta permanente a apontar para o
ar e olhou-me como quem diz que não ouviu bem.
Eu repeti pausadamente, enfatizando as palavras mais significativas.

Então reparei, maravilhada, como ela ia escrevendo, com tinta preta, no
questionário oficial.

- Posso perguntar, disse-me ela com novo interesse, o que faz exatamente?

Calmamente, sem qualquer traço de agitação na voz, ouvi-me responder:

- Desenvolvo um programa a longo prazo (qualquer mãe faz isso), em
laboratório e no campo experimental (normalmente eu teria dito dentro e
fora de casa). Sou responsável por uma equipe (minha família), e já recebi
quatro projetos (todas meninas). Trabalho em regime de dedicação exclusiva (alguma mulher discorda?), o grau de exigência é em nível de 14 horas por dia (para não dizer 24 horas).

Houve um crescente tom de respeito na voz da funcionária que acabou de
preencher o formulário, se levantou e, pessoalmente me abriu a porta.

Quando cheguei a casa, com o título da minha carteira erguido, fui
recebida pela minha equipe: uma com 13 anos, outra com 7 e outra com 3
anos.
Do andar de cima, pude ouvir o meu novo experimento (um bebê de seis
meses), testando uma nova tonalidade de voz.
Senti-me triunfante!
Maternidade... que carreira gloriosa!
Assim, as avós deviam ser chamadas:

"Doutora-Sénior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas".

As bisavós:
"Doutora- Executiva- Sénior".

E as tias:

"Doutora - Assistente".

Uma homenagem carinhosa a todas as mulheres, mães, esposas, amigas,
companheiras.

Doutoras na Arte de fazer a vida melhor!

terça-feira, 13 de maio de 2008

5 Comments:

Ana Carolina Braga said...

Linda homenagem às mulheres que nos colocaram no mundo - as nossas mães!! Mãe é coisa especial!! Mãe, sublime palavra, tão pequena e com força tão indiscritivel...

Abraços

Alice said...

... e somos doutoras em vida, em viver, em doar a vida e em deixar que vivam..... geradoras , genitoras, doutoras vivas para viver !!!


mil bjkas pra vc !

Renne Boz said...

Linda homenagem mesmo! Estou louca para ter essa profissão logo!! hihihihi...e ter doutorado! :)
Obrigada pelo comentário tão estimulante em meu blog, minha flor. Saiba que ele me ajudou muito. Obrigada!

Um grande beijo!!!

Fabiola said...

PARABENS PARA TI atrasado

bjocas

Renato Bueloni Ferreira said...

Bela homenagem e belo texto. A maternidade é uma tarefa de exigência única e de muito mais responsabilidade que qualquer emprego ou carreira, pois trata da vida de pessoas queridas.
bj

 
Pensamento Nosso - Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu Templates Novo Blogger