Música: Disparada

Bom dia!!!!


Hoje revirei o baú, de uma época que nem era nascida, mas que se faziam grandes músicas, grandes letras, grandes cantores e grandes festivais!
Sim, gosto do moderno, mas confesso que tenho um pézinho no passado...

Essa letra é linda!
Renova minhas forças cada vez que a ouço, me faz tomar as rédeas de minha vida quando alguém tenta puxar... me faz ver que realmente, um dia somos boi, outro dia boiadeiro...temos que saber lidar com os altos e baixos da vida.

"Mas o mundo foi rodando
Nas patas do meu cavalo

E nos sonhos que fui sonhando
As visões se clariando
As visões se clariando
Até que um dia acordei
Então não pude seguir
Valente lugar tenente
E dono de gado e gente
Porque gado a gente marca
Tange, ferra, engorda e mata
Mas com gente é diferente."


Acho que tem muita gente que precisa lembrar disso: com gente é diferente!
Senhoras e Senhores, o grande Jair Rodrigues...






Disparada

Música de autoria de Geraldo Vandré e Théo de Barros, obteve o 1º Prêmio (juntamente com A BANDA) do II Festival da Música Popular Brasileira, organizado pela TV Record.
Vídeo gravado na noite final do Festival, em 10/10/1966, no Teatro Record Consolação (São Paulo).
Intérprete: Jair Rodrigues com Trio Marayá e Trio Novo



Prepare o seu coração
Pras coisas que eu vou contar
Eu venho lá do sertão
Eu venho lá do sertão
Eu venho lá do sertão
E posso não lhe agradar

Aprendi a dizer não
Ver a morte sem chorar
A morte, o destino tudo
A morte, o destino tudo
Estava fora de lugar
Eu vivo pra consertar

Na boiada já fui boi
Mas um dia me montei
Não por um motivo meu
Ou de quem comigo houvesse
Que qualquer querer tivesse
Porém por necessidade
Do dono de uma boiada
Cujo vaqueiro morreu

Boiadeiro muito tempo
Laço firme, braço forte
Muito gado e muita gente
Pela vida segurei
Seguia como num sonho
E boiadeiro era um rei

Mas o mundo foi rodando
Nas patas do meu cavalo
E nos sonhos que fui sonhando
As visões se clariando
As visões se clariando
Até que um dia acordei
Então não pude seguir
Valente lugar tenente
E dono de gado e gente
Porque gado a gente marca
Tange, ferra, engorda e mata
Mas com gente é diferente

Se você não concordar
Não posso me desculpar
Não canto pra enganar
Vou deixar você de lado
Vou cantar noutro lugar

Na boiada já fui boi
Boiadeiro já fui rei
Não por mim nem por ninguém
Que junto comigo houvesse
Que quissesse ou que pudesse
Por qualquer coisa de seu
Por qualquer coisa de seu
Querer mais longe que eu

Mas o mundo foi rodando
Nas patas do meu cavalo
E já que um dia montei
Agora sou cavaleiro
Laço firme, braço forte
Num reino que não tem rei.

segunda-feira, 17 de março de 2008

5 Comments:

Lorita said...

Essa música pulsa dentro da gente, grande Jair, sou fã dele.

bjm moça que sumiu de mim =[

Anônimo said...

oi Fofs
bom ouvir essa musica...lembra da minha formatura...rsrsrs
entra depois no site do buffet do Nuno tem foto do John john

PríncipeTito Blog said...

Curti muito essas músicas...Abraços!!!

BABI SOLER said...

a primeira eu não conheço, mas a segunda é linda mesmo.
um beijo!

Fabiola said...

AMo esta musica de paixão!!!!!!

 
Pensamento Nosso - Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu Templates Novo Blogger