Filhos: tê-los ou não!

Vou falar sobre um assunto totalmente inspirada (e com autorização) em uma crônica escrita por minha amiga blogueira Mônica Montone.
Um breve relato pra quem ainda não teve o prazer de conhecer: Mônica Montone é psicóloga, escritora, cantora e agora também roteirista e diretora de seu curta metragem (desculpe se esqueci de citar algo).
Mantém um blog chamado Fina Flor e um dia tive o privilégio de neste mundo blogueiro, receber um comentário seu em meu blog. Desde então ir ao seu blog tornou-se um prazer diário.
Semanas atrás ela escreveu uma crônica na Revista O Globo, intitulado "Filho é Pra quem Pode", que provocou uma verdadeira polêmica, virando assunto até no Fantástico, no programa Happy Hour, no programa Sem Censura, em seu blog e em várias rodinhas de amigos, como no meu caso.
Pra quem quiser ler (e vale a pena), clique aqui.
Resumindo, a crônica é sobre filhos, ou melhor, sobre o fato dela não querer ter filhos.
Teve tudo quanto é tipo de comentário...teve quem entendesse, teve quem achasse absurdo, teve gente que falou que ela era louca, teve quem apoiasse, teve quem se identificou...

Proponho essa discussão também aqui, por que é tão absurdo assim uma mulher não querer, não sentir vontade ou necessidade de ser mãe?????
Sou mãe e sempre quis ser, mas entendo e concordo que muitas mulheres não tem essa vocação e algumas nem tem competência.
Sim, porque para ser mãe de verdade, tem que ter as duas coisas.
Antes de engravidar, as pessoas devem se perguntar: "É realmente isso que quero? Estou preparada para isso? Estou preparada para incluir uma pessoa em minha vida de forma definitiva? Estou preparada para mudar alguns hábitos? Sou capaz de amar alguém sem esperar nada em troca?"
Filho, principalmente nos primeiros meses, pede uma dedicação quase que integral.
As revistas pintam um mundinho cor-de-rosa e realmente ser mãe é maravilhoso, mas tem o lado prático da coisa.
A gente se perde no meio de fraldas, roupinhas, mamadas...depois vem os suquinhos, papinhas, frutinhas e etc, etc, etc.
É um círculo vicioso, pois nem bem terminamos de fazer uma coisa, já temos que recomeçar.
Nossos banhos passam a ser a jato, vaidade fica em segundo plano, uma noite inteira de sono? Esquece...vai demorar muito pra voltar a ter!
Namorar com seu marido? Parece que o bebê tem um sensor, é só a libido aparecer, que o choro dele vem junto...riso.
Enfim, ser mãe é infinitamente maravilhoso, mas tem um preço...e se você não tem ao seu lado um companheiro que entenda, respeite e te ajude, o preço aumenta em proporções fenomenais.
Portanto, acho compreensível que algumas mulheres não queiram isso para suas vidas.
Hoje em dia a maternidade está em segundo plano...a mulher pensa primeiro em estudar, ter uma profissão, se estabilizar e depois casar...daí talvez, quem sabe, ter um filho...mas só perto dos 30 anos!
Falo isso com base nas minhas amigas solteiras.
Conheço mulher que não quer casar.
Conheço mulher que quer casar, mas não quer filho.
Conheço mulher que é muito feliz sendo mãe.
Conheço mulher que mesmo sendo mãe, é infeliz.

Concordo quando a Mônica diz que não é certo, é egoísta projetar seus sonhos em um filho...assim como também concordo que é errado e perigoso achar que sua felicidade se vai, quando seu filho também vai...filho não pode ser encarado como garantia de felicidade para ninguém!
Colocamos um filho no mundo, mas ele não nos pertence, não é um objeto, uma roupa...é um outro ser, que tem idéias, pensamentos e vontades próprias. Tecer expectativas e querer que um filho corresponda a todas elas, é totalmente egoísta e garantia de sofrimento.
Também concordo que há várias maneiras de exercer o lado maternal, sem necessariamente ter um filho.
Tenho uma amiga que sua missão espiritual é trabalhar com crianças e ela não tem filhos. Trabalha no centro Kardecista que frequento e ministra ensinamento do Evangelho para crianças e adolescentes, se realiza dessa maneira.
Tenho uma tia emprestada, que ela e o marido não quiseram ter filhos, mas tem montes e montes de afilhados e sempre foram felizes assim...são pessoas que as crianças gostam de estar perto.

E decididamente tem mulher que não merece ser mãe...colocam o filho no mundo e jogam no lixo, no rio, pela janela, maltratam, exploram, ignoram, não são presentes, não cuidam...
Não existe ex-filho...filho é pra vida toda e se a pessoa não está disposta, não pode ou não tem vontade de abdicar de algumas coisas, adiar outras, mudar alguns hábitos e nunca cobrar absolutamente nada por isso, não deve mesmo ter!
Estamos aqui falando de mães, mas isso se aplica também a pais...muitos homens não querem ser pais.

Eu sempre quis ser mãe, se pudesse e se não achasse que esse mundo está muito louco, teria vários filhos! Mas, não queria somente ser mãe...queria gerar uma vida, senti-la crescer dentro de mim, parir, amamentar, dar banho, cuidar...queria o pacote completo!
Sim, sei que terá quem me critique, dizendo que há muitas crianças órfãs por ai, precisando de uma família...mas essa era uma vontade que eu tinha, um sentimento e uma experiência que queria e precisava passar.

Mônica, minha linda, achei um ato de muita coragem, maturidade e inteligência você admitir que não quer ter filhos. Não se incomode com as pessoas que não entendem e te chamam de louca...não há porque te recriminar, te julgar, nem te condenar...quem sabe da sua vida, é você!

terça-feira, 23 de setembro de 2008

10 Comments:

Carolzita! said...

Querida, também gostei muito do texto da Mônica, achei ela corretíssima quando diz que filho é pra quem pode!!



PS: Não sabia que vc era de sampa, senão teria te avisado. Me perdi aí, foi uma loucura, mas no final deu tudo certo.


Beijos

Margarete said...

Acho que ela está certa, se não quer ser mãe, que não seja. Tem tanta gente por aí que devia por a cabeça no travesseiro e pensar muito antes de por filho no mundo.
Ser mãe não é fácil, tolo quem pensa o contrário.
Já me peguei pensando porque Deus me permitiu essa dádiva... por questões que ele me impôs.. ter uma filha especial não é mole.... Mas, sou mãe, incondicionalmente. Recebo a recompensa com o sorriso de minhas flores, com o abraço ou simplesmente saber que elas estão bem para mim é o suficiente e não consigo me imaginar sem minhas duas preciosidades.
Beijinho

Marcelo Martins said...

A sociedade meio que obriga as mulheres a serem mães.
Essa é uma mentalidade retrógrada e atrasada mas ainda existe gente que pensa dessa forma.
Ter filhos não é brincadeira, as responsabilidades são gigantescas e muda completamente a sua vida e todos os seus conceitos.
Digo isso porque eu tenho filhos e sei bem o que eles significam pra mim.

Beijos

edson marques said...

Teu texto de hoje merece releitura e reflexão!

Tua compreensão da vida, e das escolhas que podemos (ou não) fazer, é fenomenal.


No meu caso, resolvi, ao doze anos, não ter filhos. Mantenho essa decisão. Mesmo que, algum dia, eu possa revisá-la.



Abraços, flores, estrelas..

Quase Trinta said...

Eu li o texto da Monica, entendo o ponto de vista dela...
Mas sou do grupo que quer ser mãe e quero muito..... casar não tenho vontade, se acontecer... agora dos filhos não abro mão...

Olha seu comentário no meu blog acalmou muito meu coração "Se ele não respondeu, perdeu ele...uma pessoa que tem a coragem que você teve, de admitir erros, de mudar, de escrever e de enviar, merece uma pessoa ao menos que responda."

MUITO OBRIGADA

Fabiola said...

Adorei o blog mesmo
Muito legal
Sei bem do que ela esta falando
Eu nunca quis ser mae!

Jana said...

Conheço a Monica e a cronica em questão, é linda.

E quando a filho, não tive a decisao de te-lo mas veio em grande estilo, sem mar de rosas, mas faz bem

beijo

BANDEIRAS said...

Ainda não os tive, por problemas de saúde mesmo. Mas acho que Deus fez a coisa certa comigo, não seria uma boa mãe, quer dizer, seria muito protetora, iria gerar um adulto inseguro.
Bjs

Flavinha said...

Também li o texto da MM. E filhos são realmente uma decisão muito pessoal. Optar por não tê-los é muito mais louvável do que tê-los em insuficiência de condições - sejam sociais, econômicas ou emocionais.

Beijos!

Laura said...

Olá... texto bom de comentar... acho q cada um deve analisar e fazer o que melhor lhe convém.
Tive meu primeiro filho sem pensar,sem querer, sem condições... mas tinha q assumir este ato impensado... hj tenho 4 filhos, todos lindos q amooo de paixão, mas quero frizar uma coisa... MÃE SOFRE PRA CARALEO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
é um assunto muito polêmico, onde cada um tem suas contestações, aliás somos humanos e assin sendo, somos eternos insatisfeitos.

 
Pensamento Nosso - Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu Templates Novo Blogger