Dica Literária: NÃO VERÁS PAÍS NENHUM (EDIÇÃO COMEMORATIVA 25 ANOS)



Mais uma indicação recebida....conferi a sinopse e gostei.

NÃO VERÁS PAÍS NENHUM, de Ignácio de Loyola Brandão, é uma romance editado pela Editora Global.
Segue sinopse do livro, o qual pode ser adquiro na Livraria Artepaubrasil.

"Há quem diga que diga artistas são uma espécie de antena de raça. E são mesmo - por sua capacidade de antever, enxergar muito antes que os simples mortais, graças a sua sensibilidade aguda. E a um dom que os faz ser ouvidos.
Kofi Annan, secretário-geral da ONU, passou anos repetindo que, hoje, os problemas centrais da humanidade são mudanças climáticas e padrões insustentáveis de produção e consumo, além da capacidade de reposiçãoda biosfera terrestre.Ficou rouco de tanto falar, poucos o ouviram.
A primeira edição deste livro é de 1981. Ele vai para a 25ª edição.
As pessoas lêem. Sabem que o autor está falando, há um quarto de século, das mesmas coisas que o secretário-geral da ONU viria tratar muito depois. Mas em 1981, só meia dúzia de cientistas tratava das ameaças que se desenhavam. E neste livro, daquele ano, volta e meia o leitor tem de dizer a si mesmo "É ficção!", para não ser engolido e sufocado pelas realidades de hoje e pelas alegorias que povoam as páginas.
É um livro captado por antenas de sensibilidade. Por isso é tão atual, tão lido - fora o estilo que são outros quinhentos.

Durante muitas décadas a poesia A Pátria, de Olavo Bilac, foi lida, decorada e recitada pelas crianças brasileiras. Os versos iniciais diziam: "Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!/ Criança! Não verás nenhum país como este!"
Não deixa de ser uma ironia cruel encontrar o verso bilaqueano adotado como título (e com seu significado virado pelo avesso) de um dos romances mais devastadores e pessimistas da literatura brasileira, o oposto do róseo otimismo do poeta das estrelas, Não Verás País Nenhum, de Ignácio de Loyola Brandão.

Enquanto gerações de crianças brasileiras recitavam o poema de Bilac, o país (aliás, em sintonia com o mundo) ia acelerando, lentamente, o seu processo de autodestruição, com a devastação das florestas, o acúmulo de lixo, a degradação do meio ambiente, a que se juntou, nos últimos tempos, à destruição da camada de ozônio do planeta, projetando perspectivas sombrias para a humanidade. Romance apocalíptico, no sentido de contar uma história do fim dos tempos, Não Verás País Nenhum se desenrola em um futuro não determinado, mas cada vez mais presente na realidade do brasileiro.

Uma época terrível, na qual a Amazônia se transformou em um deserto sem nenhuma árvore; onde "O lixo forma setenta e sete colinas que ondulam, habitadas, todas. E o sol, violento demais, corrói e apodrece a carne em poucas horas"; onde a carência de água impõe a reciclagem da urina, bebida pelas pessoas.
A administração do país chegou ao caos.
Governantes medíocres, cada vez mais afastados do povo, interessados apenas em vantagens pessoais, uma polícia corrupta e assustadora.
No meio desse mundo sombrio, uma história de amor, na qual o autor sugere que nem tudo está perdido, pelo menos enquanto o bicho-homem alimentar esperanças e for capaz de gestos de generosidade."


Me parece um livro forte e que com certeza fará pensar e prestar mais atenção aos problemas ambientais do mundo, tema tão discutido hoje em dia.
Boa leitura!





sábado, 23 de junho de 2007

3 Comments:

B. said...

De fato, também pareceu-me um livro interessante. Teu cantinho é muito aconchegante.

Obrigada pelo link, irei linkar-te também.

Bisous.

Bia said...

Só dica boa de livro, hein?
Tô anotando todos...rs.
Beijoka

Regina said...

Amamos seu site é lindo parabéns. Ajude nos anjo com campanha contra violencias aos nossos animais. Eu tenho 3 selos, da campanha contra violencias, vc pode colocar os 3 como tb pode colocar somente um, coloque num lugar fixo do seu site lindo, e deixe seus amigos saberem que vc não admite maustratos aos animais, principalmente os de rua. Dessa forma estará nos ajudando e muito, pois esta divulgando, e conscientizando o maior nr de pessoas possiveis, é esse nosso trabalho, conscientizar as pessoas que os animais possuem sentimento sofrem como um ser humano, e nós como nos achamos "racionais" devemos agir como o mesmo, e não como monstros, pois é isso que muitas pessoas esta fazendo, agindo, maltratando animais por puro prazer. Isso é errado, eles são como uma criança. no caso de um cãozinho de rua principalmente e dos gatinhos, a diferença é que eles sempre serão criança. Ajude nos.

 
Pensamento Nosso - Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu Templates Novo Blogger