Saudades...


Bom dia.


Hoje sonhei com minha avó...
Ela já não está mais entre nós há muito anos, mas nem preciso fechar os olhos para vê-la.
Minha avó foi uma grande mulher, dessas de 1 em 1.000.000!
Sofreu muito...ficou viúva cedo, com 30 e poucos anos e nunca mais se casou, dizia que homem na vida dela só um. Criou os 7 filhos lavando roupa pra fora e fez todos estudarem até onde podia, já que ela mesma não sabia ler nem escrever. Não pôde estudar porque tinha que cuidar dos irmãos mais novos...naquela época isso era muito comum, as mães tinham os filhos e os filhos mais velhos é que cuidavam.
Era analfabeta, mas tinha uma sabedoria como poucos. Uma mulher de coragem, de caráter, de moral...nunca foi pelo caminho mais fácil e ensinou isso aos filhos. Ensinou que é melhor percorrer uma jornada dura, difícil, mas poder olhar os outros de frente, com a cabeça erguida, sem medo ou vergonha.
Aonde morava era admirada pelos amigos e vizinhos, por ter criado tão bem os filhos sozinha e com toda dignidade.
Não sabia ficar parada...quando de idade morava com minha minha tia e lembro dela sempre varrendo o quintal, dobrando a roupa que tinha sido lavada.

Não usava calça, só saia e por cima da saia, um aventalzinho, desses de amarrar atrás. Extremamente asseada, todo dia de manhã prendia os cabelos, ainda com alguns fios negros, num coque bem feito e passava o pó-de-arroz. Era uma latinha marrom, com o desenho de uma dama na tampa, sorriso...eu adorava aquele cheiro.
Gostava de assistir o programa Viola minha Viola e às vezes quando eu ia dormir na minha tia, sentava a seus pés e ficava lendo livros de histórias pra ela....chamava-a de "vóia".
Era bem-humorada, fazia a gente rir e era tão doce, tão boa...
Morreu em casa, aos 87 anos sem nunca ter estado em um hospital.
Muito do que sou hoje como pessoa, da formação do caráter, devo a ela e consequentemente a minha mãe, outra mulher espetacular.

Tenho muito orgulho das duas e se um dia conseguir ser metade da mãe que elas foram e no caso da minha mãe, que ainda é, vou me dar por satisfeita.


Cada dia creio mais que as adversidades, os obstáculos e as dificuldades que enfrentamos em nossa vida, são degraus que formam nosso caráter, nossa personalidade, fazendo com que aquilo que conseguimos tenha um valor inestimável. É bom demais olhar para trás e sentir orgulho do que foi feito!
Ah, vóia...suspiro...que saudades de você!


quarta-feira, 23 de maio de 2007

6 Comments:

Renato Bueloni Ferreira said...

A saudade levou vc a fazer uma linda homenagem à sua avó! Pessoas como ela passam silenciosas pela vida, não são celebridades no conceito moderno, mas tem um valor inestimável!

Edna Federico said...

Obrigada, Renato!
A saudade dói e parece que fica ainda mais latente num dia chuvoso como hoje. Mas, não há tristeza, só saudade e a certeza que minha avó não passou despercebida por este mundo.

Bia said...

Ai, amiga, que lindo isso!
Cara, fiquei com saudade da minha avó tb...vou na casa dela no final de semana.
Beijokas

Andressa said...

Que declaração linda, Edna! Emocionante seu post!
beijos

Marcos said...

Fico imaginando nossa avó olhando os bisnetos correndo e gritando e ela com aqueles olhinhos espertos acompanhando tudo e se divertindo também... Uma outra lembrança que tenho é que ela adorava falar coisas de duplo sentido e se divertia com isso... Quando criança, ela morando conosco, logo cedo eu acordava com ela cantando ao lavar roupas no quintal; eu chegava devagar por trás e a assustava...rs Ela xingava e jogava água e depois ficava resmungando...rsrs Ah vó...esteja com Deus!

Cinthia said...

Um post cheio de sentimento, muito bonito mesmo.
Beijo

 
Pensamento Nosso - Wordpress Themes is proudly powered by WordPress and themed by Mukkamu Templates Novo Blogger